Como manter seu banco de dados da sua clínica em segurança?

O banco de dados é a ferramenta que auxilia o trabalho de qualquer clínica médica. É uma forma de armazenar informações sobre pacientes e sobre a própria clínica em plataformas eletrônicas, facilitando a administração. E ainda é um mecanismo mais seguro do que guardar arquivos em papéis, outro motivo de ser tão utilizado.

No entanto, isso não significa que ele está 100% protegido, principalmente contra ataques virtuais. É importante ter políticas de cuidado para garantir o resguardo desses dados médicos, que são tão importantes – além de igualmente sigilosos, já que muitos documentos são relacionados a clientes que acreditam na confidência do médico para esses assuntos. Para fugir de qualquer armadilha ou inconveniente, aprenda como manter o banco de dados da sua clínica em segurança.

Principais medidas de segurança digital

– Senhas: É essencial ter senhas complexas para proteger qualquer meio digital. Isso vale para o banco de dados em si, mas também para tudo que o acessa, como o próprio computador e contas de e-mail. Use senhas diferentes para cada coisa, com termos difíceis e fugindo de clichés como aniversários e telefones. É bom também alterar as senhas principais de vez em quando para se proteger de possíveis vazamentos de senha.

– Criptografia: Essa tecnologia foi feita para gerar uma camada de proteção ainda maior para os dados. Assim, apenas pessoas autorizadas que têm a chave de acesso conseguem ler e utilizar os arquivos completos. É uma boa proteção contra hackers, e essencial para proteção de informações sigilosas de uma clínica.

– Backup: Mesmo com muita cautela, nem sempre é possível impedir um acidente. Uma ferramenta importante para bancos de dados é ter a capacidade de guardar backup de todos os arquivos em um servidor dedicado, como na nuvem. Dessa forma, se algo acontecer que danifique o banco de dados original, é possível restaurar. Para isso, é importante garantir que o backup seja atualizado automaticamente e constantemente, além de realizar relatórios eventuais para certificar que está tudo em dia.

– Atualizações: Pode não parecer, mas ter softwares de segurança desatualizados pode ser tão vulnerável quanto não tê-los. Os perigos e mal-intencionados virtuais se modificam continuamente para quebrar essas barreiras. Então para se manter seguro é preciso também aprimorar sua segurança e atualizar a versão dos seus apps e antivírus; só assim terá os efeitos completos que os mecanismos de proteção fornecem.

Cuidados externos que afetam bancos de dados

Não somente medidas digitais podem ser usadas para proteger um banco de dados. Existem alguns cuidados “offline” que podem ajudar nessa tarefa, principalmente em relação às autorizações de acesso. Como muitas pessoas trabalham na clínica, é esperado que várias precisem usar os bancos de dados. Porém, distribuir códigos de acesso sem discernimento aumenta risco de vazamentos.

Por isso, defina bem que os profissionais tenham permissão para se conectar com apenas o que necessitam. Realize orientações à equipe sobre como utilizar o banco de dados adequadamente e como a segurança da informação é importante para seu trabalho. Assim todos os funcionários da clínica também poderão usar desse conhecimento para ter mais cautela com o banco de dados.

Quando a tecnologia é bem utilizada, a segurança de dados só melhora. Para saber mais sobre como ela pode ajudar na sua clínica, confira nosso site e entre em contato conosco.